Espelho e Passarela : #Papo: A moda e a autossuperação | Como você vê a moda hoje em dia? >

#Papo: A moda e a autossuperação | Como você vê a moda hoje em dia?

Esses dias assisti no Netflix um documentário muito interessante onde o assunto, foco (e material utilizado hahah) era ninguém menos que Karl Lagerfeld. Ele, em um dado momento, afirmou o quão efêmera é a moda. Hoje essa peça está in, amanhã, over e precisamos nos adequar. Certo? Erradíssimo. A Indústria da Moda é, de fato, efêmera. Efêmera, injusta e economicamente inviável para a maioria da população. Isso não pode jamais ser confundido. Moda é moda. Indústria é indústria. 
A moda não está aí para ser seguida. É uma sugestão. Você não é obrigado. Gosta de seguir? Ótimo! Mas isso te impede de usar um ex-tendência? Bad. Eu sigo a moda, na medida das minhas limitações, mas sigo a ex-trend. Sigo o guarda-roupas da minha avó também. #WhyNot?
A partir do momento que você olha para a coleção passada com desdém, você já se tornou parte dos seguidores da Indústria da Moda e não, necessariamente, você é fashionista. Pode até ser babaca. Quem não gosta de uma liquidação, meus amores? É coleção passada. As vezes coleção retrasada. Não entendeu? Para ilustrar melhor o que eu quero dizer, vou contar um caso: 
Certa vez fui a uma loja super badalada aqui da minha cidade a procura de um vestido preto. Tinha uma festa pra ir e queria muito um vestido preto para usar nesse dia. Acreditam que vasculhei o guarda-roupa e não achei nenhum pretinho básico? Fui às compras. 
Chegando lá, a vendedora se aproximou e, quando expliquei o que eu queria, já me mostrou N modelos. Nada do que eu realmente queria. Comecei a andar e vi, lá no canto da loja, uma arara meio abandonada, com peças de tudo quanto era jeito. Quando estava indo pra lá, a bendita me joga essa informação "Aí não deve ter roupa pra você... é de coleção passada. O vestido preto daí é de franjas. Não está usando franjas mais". Como assim, queridinha?
Se tem uma coisa que eu não me importo, é com a data de fabricação das roupas. Eu amo franjas! Porque não posso usar quando quiser? Porque não tá na Vogue? Por favor, dá um tempo! A moda é um exercício diário de autossuperação. Quem aí nunca se pegou pagando língua porque acabou usando aquela peça que, anteriormente, dizia que jamais iria usar? Sou dessas. E cá entre nós, deu um baita orgulho de mim mesma quando me vi usando um cropped (tinha pavor de barriga de fora). Quando coloquei um sneaker nos pés então... fiquei maravilhada! 
É uma delícia dizer-se eclética quanto a estilo. Hoje em dia, de tanto me superar, não afirmo que jamais usaria nada. Estampas étnicas estão super na moda. Amo estampa étnica e vou usar muito nessa estação. Saia midi deu uma caída... Vou usar também. Amo saia midi! Algumas coisas ainda estão verdes na minha cabeça (tipo a calça saruel), outras vezes eu já caí de amores e pedindo perdão por ter criticado. Oi, bandage! 
Quem já leu o Sobre aqui do blog vai entender exatamente o que eu quero dizer com o sentido de autossuperação da moda. Porque é isso que ela significa para mim. Hoje eu acordo romântica e uso cintura marcada, amanhã posso acordar rocker e usar calça destroyed. Porque não? Porque calça destroyed está ficando over? Ah... qual é?! 
Um desafio a você: Entre em uma loja mais em conta (são perfeitas para esses testes) e escolha uma peça que você jamais usaria. Compre. 
Daqui a um tempo, conte aqui como foi a experiência. Use o que te faz bem. Use o que te faz olhar no espelho e falar: Caramba, como eu tô gata hoje! 

Hugs!

P.S: Escrevi esse post usando blusa com estampa de galáxia. Super over. 
Tô feliz. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Comente!

class='title'>Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover